Jornada Mundial de la Comunicación

Dom Darci Nicioli: Desejo que esta semana seja celebrada com alegria em todo o Brasil

Dia Mundial das Comunicações

(PASCOM Brasil).- Dom Darci José Nicioli, arcebispo de Diamantina e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da CNBB, divulgou carta de incentivo às comunidades na semana que antecede a Festa da Ascensão do Senhor e Dia Mundial das Comunicações.

Leia a Carta:

21 de maio de 2017

Gente boa!

A Conferência dos Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) me confiou, há dois anos, a delicada missão de presidir uma comissão dedicada a acompanhar e animar os comunicadores da Igreja no Brasil. A nossa missão também é a de apoiar e levar a palavra da Igreja nesse campo para toda a sociedade. E é, portanto, a partir dessa lugar eclesial que me dirijo a todos para dizer algo muito importante: Papa Francisco nos deu uma extraordinária orientação por meio de uma Mensagem para celebrarmos com muito fervor, no próximo dia 28 de maio, o Dia Mundial das Comunicação!.

Desde o lançamento da Mensagem, dia 24 de janeiro, quando celebramos a memória de São Francisco de Sales, padroeiro dos jornalistas, esta orientação tem ecoado por vários cantos e é dessa palavra que nos vem a inspiração para dirigir esta simples carta aos agentes de Pastoral da Comunicação (Pascom), aos animadores da comunicação nos meios da Igreja e também a todos os irmãos e irmãs de boa vontade que consideram a relevância desse tema para o sucesso da evangelização e do progresso do mundo.

O Papa nos fala para comunicar a esperança e a confiança em nosso tempo. Eu sou filho de uma tradição da Vida Religiosa que tem as marcas de um intrépido comunicador do século 18, Santo Afonso Maria de Ligório. Ele era cuidadoso e considerava de fundamental importância a formação dos seus missionários. Formação humana e cristã. Eu creio que esse permanece sendo um ensinamento de grande valor: só conseguiremos comunicar a esperança se trouxermos uma expressão clara das razões mais profundas dessa mesma esperança! Por isso, nos cabe a tarefa, como comunicadores, de nos empenhar sempre, no estudo da Sagrada Escritura, do Magistério da Igreja e das belas expressões dos valores humanos presentes na literatura laica.

Por outro lado, só poderemos comunicar a confiança em nosso tempo se considerarmos também essa dimensão da formação humana e cristã com o aval de uma autoridade moral que só nasce do cultivo atento da honestidade pessoal. O testemunho dos santos, dos pastores, das lideranças comprometidas com a retidão pessoal e social podem nos inspirar nessa época em que está muito difícil confiar em alguém dada a situação geral de grandes escândalos econômicos e políticos. Comunicadores: é urgente voltar à ética pessoal e comunitária e aprender dela as orientações mais básicas sobre direitos e deveres no exercício da cidadania, sobre sagrado respeito pela busca do bem comum e buscar ainda um rigoroso resgate daquilo que os nossos antigos chamavam de “vergonha na cara”.

Papa Francisco, na mensagem para este Dia Mundial das Comunicações de 2017, também nos pede para combater o mal que insiste em ser protagonista da nossa comunicação. Na vida cristã, o combate ao pecado é o reverso da medalha do acolhimento da graça que nos edifica, que nos santifica, que nos realiza. Precisamos compreender que esse combate se dá pela busca do bem sufocado nas situações corriqueiras. As más notícias que têm ganhado sempre o lugar nas primeiras páginas maltratam os esforços de superação, as iniciativas do bem e a obra silenciosa e lenta de quem permanece no caminho anônimo que nos conduzirá a um mundo melhor.

O painel diário montado pela Grande Mídia, agora ampliado pelas Redes Sociais, nos leva a crer, facilmente, que no mundo só existem canalhas, ladrões, pilantras e hipócritas. A realidade não é esta. Precisamos denunciar essa fraude. Há uma riqueza humana enorme e majoritária sendo vilipendiada pela Mídia e quase ignorada nas principais manchetes. As pessoas de bem são os principais sujeitos do movimento que pode salvar nossas nações do caos promovido pelos histrionismo das lideranças mundiais. Nós, comunicadores, precisamos prestar mais atenção nessas pessoas de bem ainda que não tenhamos delas declarações bombásticas e nem gestos de celebridades.

Eu soube que em nossas dioceses, paróquias e comunidades, muita gente procurou,  desde o lançamento em janeiro, trazer esses e outros aspectos da Mensagem do Papa para celebrar o dia 28 de maio. Fico feliz com essas notícias. E Desejo que esta semana que antecede o Dia Mundial das Comunicações seja celebrada com alegria em todo o Brasil!

Uma novidade da Mensagem em relação aos anos anteriores está no fato de que o Santo Padre fez uma ligação entre a nossa data de comunicação com a festa litúrgica do próximo domingo. Peço a todos que prestem muita atenção nisso: “A esperança fundada na boa notícia que é Jesus faz-nos erguer os olhos e impele-nos a contemplá-Lo no quadro litúrgico da Festa da Ascensão. Aparentemente o Senhor afasta-Se de nós, quando na realidade são os horizontes da esperança que se alargam. Pois em Cristo, que eleva a nossa humanidade até ao Céu, cada homem e cada mulher consegue ter ‘plena liberdade para a entrada no santuário por meio do sangue de Jesus. Ele abriu para nós um caminho novo e vivo através do véu, isto é, da sua humanidade’ (Heb 10, 19-20). Através ‘da força do Espírito Santo’, podemos ser ‘testemunhas’ e comunicadores duma humanidade nova, redimida, ‘até aos confins da terra’ (cf. At 1, 7-8)”.

Feliz Dia Mundial das Comunicações a todos!

Dom Darci José Nicioli, CSsR

Arcebispo de Diamantina (MG) e Presidente da Comissão Episcopal para a Comunicação da CNBB

Diamantina, 21 de maio de 2017

Te puede interesar también

Deja un comentario