Jornada Mundial de la Comunicación

Dom Vilson Dias de Oliveira: usar as redes sociais para promover o bem da sociedade

Papa Francisco

O ensino do Papa Francisco: usar as redes sociais para promover o bem da sociedade

 

 

 

 

Caríssimos irmãos e irmãs,

 

Esta mensagem do Papa Francisco para o Dia Mundial das Comunicações Sociais 2016, que ocorrerá no dia 8 de maio, Solenidade da Ascensão do Senhor e abertura da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos no Brasil, está em sintonia com o Jubileu Extraordinário da Misericórdia. De acordo com o Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais, a data quer ser ocasião para refletir sobre as “sinergias profundas entre comunicação e misericórdia”; e que “as palavras podem construir pontes entre as pessoas, as famílias, os grupos sociais e os povos”, e que “isto acontece tanto no ambiente físico como no digital”.

Imbuídos pelo Espírito Santo e pela graça do nosso batismo, somos enviados no seguimento de Jesus Cristo e sermos também o rosto da misericórdia do Pai no mundo de hoje, em todos os lugares, momentos, circunstâncias e com todas as pessoas. Deus é amor e por isso age com misericórdia. Nós, enquanto comunicadores da Boa Nova do Evangelho de Jesus Cristo, somos chamados a testemunhar o Seu amor, realizando gestos concretos de misericórdia, perdão e reconciliação. A nossa comunicação deve gerar vida que se plenifica no amor verdadeiro de Deus por cada um de nós.

A mensagem começa com a lembrança de que estamos vivendo o Ano Santo da Misericórdia, que nos convida a refletir sobre a relação entre a comunicação e a misericórdia, pois “aquilo que dizemos e o modo como o dizemos, cada palavra e cada gesto deveria poder expressar a compaixão, a ternura e o perdão de Deus para todos”. Nas palavras do Papa, “o amor, por sua natureza, é comunicação: leva a abrir-se, não se isolando. E, se o nosso coração e os nossos gestos forem animados pela caridade, pelo amor divino, a nossa comunicação será portadora da força de Deus”.

Impelidos pelo amor e pela misericórdia de Deus, somos chamados a vencer o egoísmo, o individualismo e todas as ações que nos afastam uns dos outros para vivermos a fraternidade e a solidariedade na busca de um mundo mais justo e de paz. Superemos os conflitos que existem entre o nosso falar e agir. Devemos buscar uma vida autêntica em Jesus Cristo, como discípulos missionários. Viver, verdadeiramente, a partir da fé que professamos na Palavra de Deus e que comunicamos em gestos de amor e misericórdia, no serviço aos irmãos e irmãs.

O papa explica que “o Ano Santo da Misericórdia” meditará a relação entre a comunicação e a misericórdia. “Com efeito, a Igreja unida a Cristo, encarnação viva de Deus Misericordioso, é chamada a viver a misericórdia como traço característico de todo o seu ser e agir”.

Assim sendo, a misericórdia não pode ser discurso teórico, efêmero e ideológico. Pela filiação divina e pelo nosso Batismo, todos somos chamados a viver como Igreja a misericórdia em nossas atividades pastorais. A ação evangelizadora da Igreja deve guiar-se pelo Espírito Santo que santifica e concede a todos a graça e os dons para a edificação do Reino de Deus.

Na mensagem, o Papa Francisco recorda, ainda, a importância do uso correto das redes sociais para a promoção do bem comum. “As redes sociais são capazes de favorecer as relações e promover o bem da sociedade, mas podem também levar a uma maior polarização e divisão entre as pessoas e os grupos”.

As redes sociais, bem como todos os meios de comunicação devem estar a serviço das pessoas e colaborem no relacionamento humano e social. É necessário na atualidade, vencermos o vício e a dependência das redes sociais que podem nos afastar das pessoas que estão próximas de nós e desconsiderarmos o valor da comunicação pessoal.

O Papa ainda nos diz que “também e-mails, SMS, redes sociais, chat podem ser formas de comunicação plenamente humanas. Não é a tecnologia que determina se a comunicação é autêntica ou não, mas o coração do homem e a sua capacidade de fazer bom uso dos meios ao seu dispor”. Isso deve nos levar ao diálogo sincero e aberto no mundo da comunicação, “para melhor nos conhecermos e compreendermos; elimine todas as formas de fechamento e desprezo e expulse todas as formas de violência e discriminação” (Misericordiae Vultus, 23).

É preciso superar a cultura da superficialidade e buscar compreender o ser humano na sua totalidade com muita caridade e misericórdia para os dramas que todos apresentam por conta da sua história de vida. Torna-se necessário vencermos as telas do computador e do celular, e caminharmos ao encontro dos irmãos e irmãs que precisam de nós, de nossa presença, de nosso testemunho, de nosso amor e de nossa ajuda.

a3

As palavras e ações devem, como destaca a mensagem, nos ajudar a sair dos círculos viciosos de condenações e vinganças que mantêm prisioneiros os indivíduos e as nações, expressando-se através de mensagens de ódio. Francisco convida “as pessoas de boa vontade a redescobrirem o poder que a misericórdia tem de curar as relações dilaceradas e restaurar a paz e a harmonia entre as famílias e nas comunidades”.

 

Ao celebramos o 50º Dia Mundial das Comunicações Sociais em consonância com o Ano Santo da Misericórdia, Jesus Cristo, Ressuscitado, que subindo aos céus, nos envia em missão para sermos comunicadores da misericórdia de Deus. Sejamos comunicadores da misericórdia de Deus que se estende por todas as gerações e nações!

Dom Vilson Dias de Oliveira, DC

Bispo Diocesano de Limeira e Ref. PASCOM – CNBB/Sul1

 

 

 

 

Te puede interesar también

One Response

  1. Eu sou Consagrada Laica en Montevideo Uruguay, me gostaria muito conocer el litoral norte de Brasil, voce pode darme A ENDERECO DE ALGUM convento o paroquia en la que eu pueda alugar um lugar para alojarme seria por un mes o dois a partir de junio.muito obrigado Margarita .

Deja un comentario